gerir reputação online

Fight For Kisses, a memória da web

Publicado em

Significativamente mais impressionante que o filme “FFK – Fight For Kisses” da Wilkinson, cujo link recebi repetidamente na semana passada por email com o título “Melhor Anúncio do Mundo”, é a sua carreira. Não sendo caso único, é exemplificativo de uma realidade que muitas vezes não se tem presente mas que é tão poderosa quanto as próprias ferramentas colaborativas 2.0 em si que as redes sociais potenciaram: a memória da Web.

Disponibilizado no You Tube há quase quatro anos, após um primeiro momento de buzz, FFK tem, desde então, merecido regular e consistente exposição, estando agora no quase cinco milhões e meio de visualizações, como mostra o gráfico acima. O balanço é também extremamente positivo quando se confrontam fãs e detractores, embora neste caso o número de dislikes seja elevado.

Perante esta memória que não se controla, tão pouco se apaga, é sobremaneira e cada vez mais crítico ser-se totalmente transparente e absolutamente consistente no que faz e no que se diz. Tal é tão válido para marcas comerciais como para a marca que, mais e mais, somos cada um de nós. Pesquise Ensitel no Google e observe as consequências. Já agora, pesquise por si também.

Anúncios

Gerir a (sua) reputação online

Publicado em Atualizado em

Descobri os irmãos Coen ao sexto filme. E desde Fargo nunca mais os perdi de vista. Ainda assim, supreendeu-me o elenco do mais recente Burn After Reading (Destruir Depois de Ler), onde se destacam nomes como John Malkovich, George Clooney, Tilda Swinton, Frances McDormand e Brad Pitt. Mesmo não sendo a primeira vez que os Coen colaboram com estrelas desta dimensão, são muitas ao mesmo tempo. O que faz equacionar a importância dos quatro Oscar de No Country for Old Men (Este País Não é Para Velhos). Com rigor, Burn After Reading começou a ser filmado há cerca de um ano atrás, antes da distinção. Mas que interessa isso? Quando se vê o cartaz a anunciar o novo filme, colado num pilar de uma sala de cinema, a primeira ideia que ocorre continuará a ser a mesma: é tão importante ser talentoso quanto ser reconhecido por isso.

À velocidade que se hoje devora informação, e que nos expõe a todo o instante – quem não tem perfil no Hi5, Linkedin, Startrecker ou Facebook? -, se competência, coerência, consistência, ética e principios são e serão fundamentais, saber gerir a percepção que os outros têm de nós é igualmente crítico. Pode ser a diferença entre ser bem sucedido e não evoluir na carreira. Evitar que isso aconteça passa, mais e mais, por também saber como gerir a sua reputação online. The Brand Called You, como lhe chamou Tm Peters na Fast Company. 

Pode dar-se o caso de, a exemplo do que aconteceu com John Travolta, ter a sorte de se cruzar com um Quentin Tarantino que devolve, ou concede, o brilho à sua estrela. Deixe-me dizer-lhe que a probabilidade é muito reduzida. E ao contrário destes 26 actores, dificilmente terá um agente que possa despedir como sinal do seu descontentamento e escape para a sua frustação.